27 de março de 2013

O celular integrado às atividades do projeto inha Terra


Sônia Bertocchi] e Claudemir Edson Viana
 
As razões indicadas em "Pelo Celular...lá na escola!" e "Por que celular na educação?" serviram de fundamento para a decisão de incluir o aparelho nas atividades propostas pela comunidade virtual de aprendizagem Minha Terra 2009 - aprender a inovar, do Portal Educarede. Como um dos desafios apresentados por esta comunidade aos seus participantes, foi lançado, em agosto de 2009, o "Pelo Celular - planejando a intervenção". O pedido era que as equipes de reportagens (alunos do Ensino Fundamental ou do Ensino Médio) produzissem um registro de até um minuto em audiovisual, utilizando a câmera do celular. Nesse audiovisual a equipe anunciaria o projeto de intervenção na realidade social que havia sido objeto de sua primeira reportagem, então já publicada num espaço específico da comunidade virtual (a galeria temática).
 
Para tanto, a equipe necessitaria passar por alguns procedimentos preparatórios fundamentais, como a preparação de um roteiro básico, a organização do cenário, da iluminação e do ensaio dos envolvidos na atuação. Essa necessidade demonstra o quanto a atividade não se resume apenas ao uso do equipamento e de seus recursos: o planejamento e a criação prévia da equipe são etapas fundamentais para o melhor proveito das ideias e do equipamento.
  
Neste desafio, compunham a trajetória não só o uso do aparelho de celular, mas também procedimentos posteriores, como o ato de baixar a gravação num determinado computador, fazer ou não a edição do material gravado, proceder com a publicação do produto final no YouTube e, finalmente, "colar a publicação" no Canal Minha Terra no YouTube (cujo acesso direto se dá pelo link disponibilizado na home desta comunidade) no grupo temático específico identificado com o título deste desafio.
 
"Lo que realmente es importante de la comunicación móvil no es tanto la movilidad, sino la conectividad permanente, estés donde estés, se haga donde se haga.
Esto nos permite estar constantemente relacionados
con los amigos, la familia y el trabajo."
Manuel Castells em entrevista à BBC Mundo.
 
Além disso, o grupo ainda teria que comunicar a todos os demais participantes sobre a publicação e convidá-los para assistir à sua produção, fazendo uso dos demais canais e ferramentas de interação apresentados no Minha Terra, como o blog da comunidade e o uso do Twitter pessoal, ou mesmo institucional, criado pelos alunos (Twitter do grupo de repórteres ou Twitter da escola, por exemplo).
 
Assim, dava-se a efetiva utilização das características próprias do uso do celular, como a mobilidade, e também a convergência e integração de diferentes mídias, linguagens e suportes técnicos, ao se propor em seguida a utilização do YouTube, do blog e do Twitter. E, o mais importante, tudo isso acontecia em razão e a favor do desenvolvimento do projeto de intervenção social da equipe que, por sua vez, trazia uma proposta pedagógica de trabalho. 
 
Foram vários os exemplos de trabalhos cuja criatividade e capacidade de realização demonstraram domínio sobre o uso destes recursos diferenciados do celular de forma articulada aos demais recursos da Web 2.0 propostos pelo Minha Terra. Em alguns casos a riqueza no trabalho de equipes de reportagem com os elementos de construção da mensagem como roteiro, cenário, iluminação, som, edição, causou surpresa, demonstrando o quanto os jovens têm ou desenvolvem facilmente múltiplas habilidades no uso de diferentes plataformas e tecnologias.
 
Em novembro foi lançado o segundo desafio, desta vez intitulado "Pelo Celular - minuto intervenção", no qual as equipes participantes teriam que registrar algum momento da execução do seu projeto de intervenção para, posteriormente, proceder com sua publicação e sua publicização nos mesmos moldes do que fora proposto o primeiro desafio.
 
Com esta inserção do celular nas atividades do Minha Terra, a principal intenção foi provocar entre os jovens e, sobretudo, entre os educadores a percepção de como o celular e seus recursos podem ser inseridos de forma articulada às demais ações de um projeto pedagógico, no qual quem ganha é o próprio projeto e as pessoas envolvidas. Assim, espera-se que outras situações de ensino, fora das propostas do Minha Terra, aconteçam como um desdobramento desta comunidade, o que, aliás, constata-se já estar acontecendo, a exemplo do uso do 
Twitter.


_____________________________________