24 de fevereiro de 2014

Twitter na escola:
pode ser um recurso pedagógico? estimula habilidades? favorece disciplinas?
pode ser usado no dia a dia da sala de aula? exige cuidados?

Adaptação de imagem do livro Cuidado Escola
de Paulo Freire
Vamos ao ponto: Twitter é um recurso tecnológico que pode ou não ter finalidade pedagógica. Assim como o que acontece com vários outros recursos/ferramentas, digitais ou não. O que vai definir esse uso em processos de ensino-aprendizagem é a intencionalidade pedagógica estabelecida pelo professor/grupo de professores.

Mas sempre insisto em afirmar que existe um ganho incontestável e que considero fundamental quando se usa mídia social na escola: aproximar a escola da cultura digital da qual os alunos fazem parte, queira a escola, ou não. É meio que uma forma de se derrubar muros e trazer o mundo como ele é pra dentro da escola. Enriquece o currículo.

Além desse ganho, significante, o Twitter usado em atividades em sala de aula pode desenvolver: habilidades de comunicação em meio digital, construção coletiva de saberes, entre outras, como por exemplo, leitura e escrita. Habilidades sociais, engajamento...

É importante também lembrar que todas as disciplinas podem se beneficiar dos recursos do Twitter, uma excelente plataforma de comunicação que poderia ser usada para manter o grupo informado sobre atividades, cronogramas, expressão de ideias, opiniões sobre um determinado tema/situação... que depois devidamente tagueadas, são agregadas e podem constituir documentos que servem de base para uma possível/posterior avaliação.

Enfim, há inúmeras maneiras de se usar este recurso como ferramenta que auxilia processos de ensino-aprendizagem: tuitentrevista, tuitencontro, tuitaço, chat... formar grupos (listas) por interesses... comunicar eventos da escola... Importante é se tirar proveito das funcionalidades/possibilidades que a ferramenta oferece. Para isso acontecer é preciso experimentar / explorar.
Professores, no entanto, ficam muito apreensivos em usar Twitter em suas aulas.

Penso que não haja cuidados específicos para este recurso, ou para as demais redes sociais. Penso que a escola que promova situações frequentes em que se possa discutir sobre viver em grupo, ética nas relações, ser e estar em sociedade, já faz um bom trabalho.

Não gosto muito dessa aura de perigo que se cria em torno das redes sociais, principalmente na grande mídia. As ruas são cheias de desafios e as crianças aprendem a andar nelas ... estar em rede também precisa ser aprendido ... e a escola pode colaborar muito neste processo.

O que você acha? Vamos conversar sobre? Envie seu comentário.