25 de junho de 2015

Resiliência? O que é isso?

Dia desses, em encontro de formação de professores, surgiu a necessidade de falar sobre resiliência.

Percebi que havia dúvidas sobre o significado dessa palavrinha que, na verdade, ainda não é muito usada. Mas figura como uma das principais competências exigidas de todos século 21. Muito importante para professores que hoje se vêem desafiados a usar recursos tecnológicos em sala de aula. Na maioria das situações, não se sentem / ou não estão preparados e se mostram pressionados em vários aspectos: problemas com a infra tecnológica das escolas, na experimentação de novos recursos didáticos, no manejo da sala de aula em situação de uso de novas tecnologias, entre outros tantos.

Resolvi então trazer o tema aqui pro blog. Como não sou especialista, busquei ajuda. Acompanhem!
CONCEITOS DE RESILIÊNCIA 
Resiliência é freqüentemente referida por processos que explicam a “superação” de crises e adversidades em indivíduos, grupos e organizações. Fonte: http://www.scielo.br/pdf/pe/v8nspe/v8nesa10
resiliência é um conceito psicológico emprestado da física, definido como a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas - choque, estresse etc. - sem entrar em surto psicológico. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Resili%C3%AAncia_(psicologia) 
Importante: de acordo com Paulo Sabbag, autor do livro “Resiliência: competência para enfrentar situações extraordinárias na sua vida profissional” (Negócio Editora), não se deve confundir o conceito com insensibilidade.

Notícia boa:                       resiliência também se aprende! 
As especialistas Tábata Cardoso e Maria do Carmo Fernandes Martins elaboraram um teste - EPR (Escala dos Pilares da Resiliência), que tem como base uma escala de fatores - chamados de pilares - que contribuem para um comportamento mais resiliente. Aproveitem e analisem seu grau de resiliência ... você é setinha preta, ou setinha vermelha? :-)
1 Encarar mudanças e dificuldades como oportunidades
“É aceitar que a mudança é uma oportunidade de crescimento, ter a visão de que as adversidades enfrentadas trazem essa possibilidade”, diz Rodrigo Fonseca, gerente da Vetor Editora.
2 Autoconfiança
É um comportamento relacionado à segurança que o profissional tem para encarar as diversas situações que se apresentam. “É a pessoa se sentir confiante para enfrentar desafios”, explica Fonseca.
3 Autoeficácia
Refere-se à percepção que a pessoa tem da sua própria capacidade. “É acreditar na competência, se sentir capaz”, explica Fonseca. Muitas vezes a pessoa pode até não ter potencial alto de inteligência, mas se tiver autoeficácia, diz Fonseca, vai se esforçar além do normal o que acabará compensando eventuais deficiências.
4 Bom Humor
Neste contexto é analisada a capacidade que a pessoa tem de usar o bom humor para lidar com momentos de stress. “As pessoas que têm bom humor se esforçam para tornar o ambiente mais leve em situações difíceis”, diz Fonseca.
5 Controle emocional
Ataques de ira não são próprios das pessoas flexíveis. “Uma reação desproporcional mostra uma falta de resiliência”, diz Yuri Keiserman.
O controle emocional permite ao profissional agir com mais calma e a não perder o foco. “Quem tem autocontrole consegue expressar adequadamente sua emoções o que permite enfrentar melhor situações difíceis”, diz Fonseca.
6 Empatia
Manter um comportamento resiliente pede uma boa dose de empatia. Saber se colocar no lugar do outro é essencial para minimizar e solucionar conflitos, segundo os especialistas. “No ambiente de trabalho, as relações podem ficar desgastadas porque são intensas e freqüentes, por isso a importância da empatia é extrema”, diz Keiserman, tdiretor executivo da editora Vetor.
7 Independência
É um conceito bastante próximo da autonomia, de acordo com Fonseca. Pessoas independentes não se isolam mas também não são dependentes dos outros para desenvolver suas tarefas, atividades e projetos. “É não ter o receio de travar, de empacar”, diz Keiserman.
8 Otimismo
O nome técnico deste comportamento na EPR é orientação positiva para o futuro. Ou seja, as pessoas com esta característica têm esperança no que está por vir em suas vidas. “Mas não significa que não se preocupem com o futuro”, afirma Fonseca.
9 Reflexão
Ter a capacidade de analisar e refletir quando o mundo está desabando ao seu redor é um dos pilares que apóiam uma pessoa de atitude resiliente, de acordo com Fonseca. Geralmente pessoas assim conseguem encontrar as melhores soluções para os problemas. 
10 Sociabilidade
Está ligada ao bom relacionamento interpessoal. Quem tem esta característica consegue criar vínculos com as outras pessoas. Quem desenvolve a sociabilidade apóia a equipe e é apoiado por ela, explica Fonseca.
11 Valores positivos
Pessoas que seguem seus valores e princípios acabam sendo mais resilientes, de acordo com Fonseca. Segundo ele, não se trata de qual valor a pessoa tem e, sim, da importância que ela dá a eles. “Cada um tem seus próprios valores, ter essa orientação é que é muito importante”, explica Fonseca.
Fonte: http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/11-comportamentos-essenciais-para-ser-mais-resiliente
Para saber +
Guia rápido - O que é resiliência?
Faça o download aqui: http://sobrare.com.br/resiliencia/guiarapido/guia_rapido_o_que_e_resiliencia_b.html