21 de novembro de 2008

Softwares sociais: o ciclo

Vi no blog do Rogério Santos, que viu primeiro no blogue de Paulo Querido, e depois seguiu o rastro do ciclo de software social. Coloco a imagem aqui e também a análise que o Rogério fez ... aí, podemos debater. Espero comentários.
Os esquemas valem o que valem, mas podemos especular um bocado com eles. Em primeiro lugar, o esquema da Gartner, que se lê da esquerda para a direita, mostra um modelo crescendo da tecnologia de ponta para um pico de expectativas (2 a 5 anos de existência), a que se sucedem um período de desilusão e um outro de recuperação (dez anos de vida). Uma tecnologia inovadora torna-se moda, é namorada e estimada por toda a gente, mas ao perder o brilho da novidade desaparece ou amadurece e permanece. Em segundo lugar, a curva da Gartner lembra a cauda longa de Chris Anderson: os grandes números (vendas) estão à esquerda, mas a consolidação faz-se à direita do esquema.

Assim, a minha leitura conclui-se com a moda e o brilho da juventude tecnológica nas redes sociais, microblogging, marketing comunitário, portabilidade social, plataformas de aprendizagem social, por esta ordem decrescente de brilho da moda. À direita, os wikis e os blogues, que já não são moda mas estão firmes e projectam uma longa vida, ultrapassando assim a fase da desilusão e entrando na era do renascimento (ou iluminismo, ou sabedoria, ou negócio, como queiram traduzir e aplicar a palavra enlightenment).